13.11.08

O seu ao seu nome

.
É inexacto falar-se da corporação dos professores. Na realidade, trata-se de um soviete, dado que eles detêm todo o poder sobre as unidades de produção onde exercem a sua profissão.
.

6 comentários:

MFerrer disse...

Non e vero pero e bene trovato!
MFerrer

Luis M. Jorge disse...

Talvez esteja na altura de os substituirmos por comissários políticos. Em primeiro lugar, porque 120 mil empregos são muitos empregos (e não seria dificil ao Governo descobrir quem foi à manifestação). Em segundo lugar, porque as crianças passavam na mesma. E finalmente, porque se aquilo é mesmo um soviete bem podia preparar as novas gerações para os amanhãs que cantam do socialismo autocrático.

Por falar nisso, o mferrer seria um excelente modelo para esse homem socialista.

setora disse...

Eh, eh, unidade de produção!
Será que você saíu da sua"unidade de produção" com um defeitozinho de "fabrico"?

GL disse...

Hum... demagogia no blog dos outros é refresco... ah se fosse no meu blog, diriam.

João Pinto e Castro disse...

1. Não são 120 mil empregos, são 140 mil. 20 mil professores meteram atestado para faltar à manifestação.

2. Uma geração inteira está a sair das escolas com defeito de fabrico.

Luis M. Jorge disse...

"Não são 120 mil empregos, são 140 mil. 20 mil professores meteram atestado para faltar à manifestação."

Ah, mas esses eram os do PS.