11.12.08

Bem visto

Um reparo muito judicioso de Medeiros Ferreira:
"O Governador do Illinois foi preso por suspeita de vários crimes de corrupção, entre os quais o de tentar vender a sucessão do cargo de Senador vago depois da eleição de Barack Obama. Entre nós ainda não se pratica, que se saiba, tal processo nas federações dos nossos partidos. Mas algumas presenças, e ausências, das listas de autarcas e deputados, talvez ficassem melhor explicadas aplicando o método das autoridades de Chicago..."

2 comentários:

GL disse...

Mais um argumento para o fim das listas.
- -
Aliás, este sistema americano é surpreendente. Não há senadores suplentes no Estados Unidos? O poder executivo estadual indicar alguém para um cargo parlamentar, mesmo que por vacância... lembra os "senadores biónicos", da ditadura militar brasileira, indicados directamente pelo Presidente, o que garantia sempre a maioria na câmara alta.
A cada caso desses vamos apreendendo que a democracia americana é recheada de pequenos "bugs" sem sentido.

GL disse...

(cont) E mais curioso: um Governador (poder estadual) indica um parlamentar para uma câmara federal (senador do estado). Deve ter alguma lógica genial nisto que me escapa.